Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/09/20 às 16h48 - Atualizado em 17/09/20 às 20h11

Concessão do Metrô prevê maior capacidade de transporte e redução na espera por viagens

COMPARTILHAR

Estudos sobre a PPP foram debatidos em audiência pública realizada pela Semob

 

A capacidade de transporte de passageiros no Metrô, atualmente em torno de 19 mil passageiros por hora-pico, deverá subir para mais de 32 mil passageiros por hora-pico, um aumento de 70% no período de 30 anos. Além disso, nos horários de pico, haverá redução de 40% no tempo médio de espera por viagens, e a quantidade de trens operando deve aumentar 46%, de 24 para 35 carros.

 

São algumas das vantagens da concessão da gestão do Metrô do Distrito Federal, que está em Consulta Pública desde o dia 25/8 e foi debatida em Audiência Pública realizada pela Secretaria de Transporte e Mobilidade, nesta quinta-feira (17). O objetivo da audiência foi apresentar o projeto e receber sugestões da sociedade.

 

A Semob está ouvindo a população para aprimorar os estudos sobre a gestão, operação e manutenção do sistema por meio de parceria público-privada. A audiência serviu para esclarecer temas importantes. Não se trata de proposta de privatização do Metrô. O projeto prevê que todos os bens associados à concessão sejam revertidos ao patrimônio público após o término do contrato. As gratuidades no transporte público estão garantidas e o preço da passagem vai continuar sendo definido por meio de políticas públicas do GDF.

 

O projeto prevê ainda a melhoria dos trens existentes, com benefícios como a instalação de ar-condicionado em todos os veículos, e a ampliação da frota através da aquisição de novas composições. O usuário terá à sua disposição um meio confortável, seguro e confiável para o seu deslocamento. Os novos carros também deverão receber a instalação de ar condicionado. Também está prevista a melhoria nas estações, em termos de funcionabilidade, acessibilidade, segurança e informação ao usuário, além da conclusão, pela concessionária, da Estação 104 Sul.

 

De acordo com os estudos, a concessão do Metrô deve gerar uma economia anual mínima de R$ 175 milhões, ao longo de 30 anos. Esses recursos poderão ser utilizados para a expansão da própria infraestrutura metroviária e aplicados em outras necessidades do Governo do Distrito Federal.

 

Com a concessão do transporte metroviário, o GDF pretende estimular o uso do transporte público através de um modelo que possibilitará o aperfeiçoamento dos serviços prestados. E ainda, alcançar a redução significativa dos valores de subsídio público necessários à operação do sistema.

 

Projeto permanece em debate

 

A audiência pública sobre a concessão do Metrô, transmitida ao vivo pelo canal da Semob no Youtube, teve duração de 4horas e 10 minutos. Mais de 1.800 pessoas acessaram o canal de transmissão, além da participação presencial de parlamentares e pessoas interessadas. A Secretaria recebeu 14 manifestações das pessoas que participaram por meio de WhatsApp, todas com vários tópicos de contribuições.

 

Durante a audiência, foram comentadas e respondidas diversas questões apresentadas de forma presencial ou por mensagens. Foram debatidos temas relacionados aos investimentos necessários para a modernização do sistema e construção de estações. Ficou esclarecido que a situação dos metroviários será resolvida pelo GDF, e não ficará a cargo da concessionária.

 

O secretário executivo de Mobilidade, Luiz Felipe Cardoso de Carvalho, esclareceu que os dados apresentados durante a audiência são os que se encontram no estudo e vão permanecer em debate. “Esses dados e valores certamente sofrerão alterações após os debates e durante o processo de concessão, que será bastante competitivo. Além disso, o projeto ainda será debatido com todos os órgãos de controle do Distrito Federal”, afirmou.

 

Toda a matéria discutida permanece disponível para Consulta Pública até o próximo dia 14 de outubro, no site oficial da Secretaria. Os interessados em enviar contribuições deverão utilizar o formulário próprio e enviar para o endereço eletrônico consultametro@semob.df.gov.br. As contribuições também podem ser enviadas por meio do Correio, com aviso de recebimento, para o endereço: Setor de Áreas Isoladas Norte – SAIN – Estação Rodoferroviária Sobreloja Ala Sul – CEP: 70631-900, Brasília/DF.

 

Todas as contribuições serão avaliadas para adequação do projeto. Após o término da consulta pública, a equipe técnica da Semob fará um relatório com comentários e respostas a todas as sugestões recebidas.