Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/04/16 às 16h57 - Atualizado em 7/11/18 às 16h46

Novo sistema monitora linhas de ônibus da TCB

COMPARTILHAR

Painel eletrônico pode auxiliar gestores da empresa pública a planejar ações estratégicas para a melhoria do serviço
Um sistema que monitora a quantidade de passageiros nas 13 linhas de ônibus da Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB) deve auxiliar a empresa a melhorar a forma como o serviço é oferecido à população. Desde sexta-feira (1º), um painel eletrônico faz o diagnóstico dos percursos mais procurados, da quantidade de passageiros em cada um e das formas de pagamento da viagem.

O modelo, que substitui as planilhas, tem como base de medição o Índice de Passageiros por Quilômetro — unidade utilizada por companhias de transporte urbano para quantificar o uso dos coletivos em determinadas distâncias. É possível medir o número médio de usuários nos ônibus por quilômetro e o total deles em cada período avaliado.

No fim do dia, os dados das catracas eletrônicas são transferidos para o painel que, de forma instantânea, transforma as informações em gráficos. O processo filtra os horários com maior demanda em cada linha e os dias da semana, além de fazer comparativos entre todos os períodos.

O processo é atualizado a cada cinco minutos e está disponível on-line para os gestores da TCB. Para a análise inicial dos administradores, foram reunidas informações desde 1º de abril de 2014.

Esplanada
De acordo com o presidente da empresa, Manoel Antônio Alexandre, o objetivo principal é descobrir gargalos na operação da TCB. “Com esse sistema podemos ter um histórico detalhado da utilização dos coletivos e planejar ações para melhorar os serviços prestados.”

A linha mais utilizada no Distrito Federal é a circular nº 108, que faz o percurso da Rodoviária do Plano Piloto à Esplanada dos Ministérios. As de menor procura são as rurais na região de Planaltina.

Modernização
A implementação do método faz parte de um plano de modernização organizacional em operação desde o fim do ano passado. O primeiro passo é o monitoramento das linhas.

O custo da contratação de todo o programa foi de R$ 1,2 milhão, com recursos da própria TCB, e foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal, em 30 de dezembro de 2015. A vigência do contrato com a Memora Processos Inovadores S/A, responsável pelo projeto de modernização, é de 12 meses.

A previsão é que também seja instalado um painel com dados para o monitoramento de despesas e receitas e reposição de peças para os veículos.

Histórico
Fundada em 8 de maio de 1961 e com início das atividades em 1º de junho daquele ano, a Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília foi a primeira empresa de transportes coletivos criada em Brasília.

Há 61 veículos para atender a oito linhas convencionais, quatro rurais e uma executiva, nas regiões do Paranoá, de Planaltina e do Plano Piloto.