Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/06/13 às 13h28 - Atualizado em 25/06/13 às 13h28

GDF reafirma que rodoviários terão empregos garantidos no novo sistema de transporte público

COMPARTILHAR

Empresas vencedoras do processo licitatório deverão dar prioridade na contratação dos trabalhadores

BRASÍLIA (24/6/13) – O Governo do Distrito Federal reafirmou, em reunião hoje (24) com representantes dos manifestantes que bloquearam a Rodoviária do Plano Piloto, o compromisso de garantir os empregos dos rodoviários na transição para o novo sistema de transporte público no DF.

“Com a nova licitação, as empresas tem o compromisso de assumir os rodoviários. Ninguém ficará desemprego”, garantiu o governador Agnelo Queiroz.

De acordo com o chefe do Executivo regional, consta na cláusula do contrato de licitação do transporte público que as novas empresas que assumirão devem dar prioridade na contratação dos rodoviários que atuam no sistema.

Além disso, segundo o secretário de Administração Pública, Wilmar Lacerda, os cerca de 15 mil rodoviários do DF serão cadastrados em um banco de dados, e a partir dele as novas empresas poderão fazer as contratações.

“Vamos montar um banco de dados de todos os trabalhadores rodoviários, para que as novas empresas que entrarem no sistema tenham acesso e contratem eles a partir desse banco”, explicou o secretário de Administração Pública.

“O governo Agnelo é o governo do diálogo. É importante destacar que temos compromissos com os trabalhadores, e com uma licitação que modernizará o transporte público e já começa a funcionar essa semana”, ressaltou o secretário de Transporte, José Walter Vazquez Filho.

CARTA COMPROMISSO – Para reforçar as intenções do GDF, foi acertado que o governador receberá, amanhã (25), às 19h, representantes do Sindicato dos Rodoviários, para assinar uma Carta Compromisso com a categoria.

No documento, será garantido que a negociação do governo com os novos empresários continuará, para organizar a transição do sistema de transporte público e assegurar a contratação dos rodoviários.

“Não vamos aceitar que os trabalhadores fora do banco de dados não sejam contratados. Eles serão aproveitados e contratados com base nisso”, destacou Wilmar Lacerda.

O secretário de Administração Pública ressaltou que a ruptura dos atuais contratos dos rodoviários será de aproximadamente R$ 110 milhões – custo das empresas de transporte atuais: “Estamos intermediando esse processo para que não aja nenhum problema na rescisão dos contratos”, disse.

BALANÇO – De acordo com o último balanço da manifestação na Rodoviária do Plano Piloto, informada às 21h30 pela Casa Militar, um total de 15 ônibus foram depredados, dois deles, da empresa pública TCB, queimados pelos manifestantes.

Na ocorrência, oito policiais foram feridos, e um deles se encontra em estado grave.

“Vai ser aberto um inquérito para apurar a devida responsabilidade das depredações que ocorreram na Rodoviária”, garantiu o diretor-chefe do Transporte Público do Distrito Federal (DFTrans), Marco Antônio Campanella.

“Lamentamos os excessos cometidos, e iremos tratar os excessos com excessos. Mas é importante deixar claro que essa casa (Palácio do Buriti) está aberta ao diálogo”, comentou o secretário de Transporte.

Itens presentes na Carta Compromisso

1 – Compromisso do governo de manter o diálogo com os novos empresários que assumirão o sistema de transporte público do DF, para que os rodoviários que trabalham no atual sistema sejam contratados.

2 – Criação do banco de dados com os cerca de 15 mil trabalhadores rodoviários, organizado pelas secretárias de Governo, Transporte e Administração Pública, para as novas empresas se basearem nele e fazerem as contratações.

3 – Marcar reunião com os novos empresários, para eles também assumirem com o GDF o compromisso de darem prioridade a contratação dos rodoviários que atuam no DF.

4 – Criar uma comissão para acompanhar o processo de transição do atual sistema para o novo sistema de transporte público, que incluem também as questões trabalhistas dos rodoviários.

(L.C/T.V)

Fonte: Agência Brasília